Mel Hoffmann

Consultoria em Comunicação Personalizada
Casa Quatro Oito inaugura Barca e Galeria Pedra

Perto de completar dois anos, a Casa Quatro Oito prepara novidades. O hotel, localizado no charmoso Canto dos Araçás, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, abre-se para a cidade com dois novos espaços em outubro – o Barca, um bar de drinks, e a Galeria Pedra, que estreia com a exposição fotográfica Eu me vejo em você, do multiartista Felipe Morozini. A inauguração será no dia 11 de outubro, para convidados, com o talk show com o artista com o tema A cidade como possibilidade do encontro e coquetel.

A ideia é abrir as portas para quem ainda não conhece o espaço visitar e para mais pessoas curtirem bons momentos com uma das vistas mais bonitas da Capital catarinense. Já reconhecida como um dos hotéis mais luxuosos da região, a Casa Quatro Oito agora quer promover experiências inesquecíveis também para quem não é hóspede.

A cidade já adotou a Casa como ponto de encontro, mas sentimos a necessidade de abri-la de uma forma diferente para receber o público. Seguindo as tendências mundiais, decidimos abrir um cocktail bar dentro do hotel para este novo momento. Já a Galeria Pedra é uma extensão da Casa, que por si só já é uma galeria”, conta a empresária Bianca Pereira.

O Barca estará aberto de terça a sábado, das 17h às 23h, e não é preciso reserva. O cardápio é colaborativo e tem 20 drinks autorais, além de clássicos da coquetelaria mundial. Entre os mixologistas convidados para criar receitas especiais para o bar estão Felipe Palanowski, Tom Oliveira, Waka Morishita e Pedro Neto. O cuidado com os detalhes, uma característica marcante do projeto arquitetônico da Casa Quatro Oito, também se reflete no Barca. Insumos como xaropes, licores e o gelo usados nas preparações dos coquetéis são produzidos artesanalmente no local. A apresentação das bebidas, inovadora, criativa e exclusiva, também deve surpreender os visitantes.

Vale experimentar drinks como o Saudade, que leva vodka, Cynar, geleia de maracujá, suco de limão siciliano e xarope simples, e o Faz-me Rir, com a combinação inusitada de tequila reposado, xarope de cranberry, suco de limão tahiti e tomate cereja macerado. Outro destaque é o coquetel criado por Tom Oliveira e batizado com o nome do bar, feito com rum infusionado com especiarias, licor de café, xarope de canela, Fernet Branca e suco de limão siciliano.

Para acompanhar, há pratos e petiscos que valorizam a gastronomia local. O menu de comidinhas tem opções com frutos do mar, linguiça blumenau, pães e massas artesanais, sandubas, bolinhos e porções. Todas as sextas-feiras, o happy hour é animado por DJ. A curadoria musical leva a assinatura de Allen Rosa, idealizador do projeto Sounds in da City. Vale ficar de olho na programação do Barca nas redes sociais – aos domingos, estão previstos sunsets esporádicos.

Com a nova proposta do bar, a Casa Quatro Oito pretende fomentar a cena de coquetelaria e musical da cidade. É mais uma boa opção para quem curte apreciar bons momentos em um local inspirador, complementa Bianca.

Galeria Pedra abre com exposição de Felipe Morozini

Eu me vejo em você, um recorte preciso e precioso nos arquivos do multiartista Felipe Morozini, com fotografias tiradas do mesmo ponto de vista, o último andar de um antigo edifício no centro de São Paulo e ao longo de 18 anos, é a exposição que inaugura a Galeria Pedra na Casa Quatro Oito. A mostra também abre para convidados no dia 11 de outubro, às 19h, com o talk show com o artista com o tema A cidade como possibilidade do encontro, e fica em cartaz até o dia 14 de novembro.

O objetivo é fomentar a cena das artes plásticas e visuais na Ilha e ser um espaço de encontros e conexão entre artistas e público. Também visa projetar artistas locais e trazer nomes nacionais e internacionais através de um futuro projeto de residência artística, explica Bianca.

Morozini, que também assina a direção criativa do hotel, inspira-se nos simples momentos do dia a dia que invadem sua casa pelas grandes janelas viradas para o centro da megalópole. Em Eu me vejo em você, 14 fotografias registram os hábitos, os segredos, as vidas ordinárias – transformando tudo em extraordinário. O multiartista entende a presença do outro, como se quisesse criar um diálogo ou uma pausa no tempo para parar, reconhecer-se e reconectar-se. Faz-se presente a união, mesmo que em silêncio, de seres que habitam o mesmo lugar, como se o artista conseguisse de fato falar com o próximo e se tornar íntimo dele, transformando a realidade em pequenos contos imagéticos e poéticos.

Outro ponto é a relação entre a própria existência e o outro. Sobre se enxergar no outro. Na verdade, sobre enxergar o outro. E depois entender que somos todos iguais, em anseios e em sonhos, completa Morozini.

Seu trabalho vai dos editoriais de moda à cenografia, fotografia de arte, vídeos, design e intervenções urbanas – o espaço urbano, inclusive, é uma chave importante em seu trabalho. Felipe é um dos diretores da Associação Parque Minhocão, uma organização sem fins lucrativos que fomenta a discussão sobre o uso e destino do Elevado João Goulart (também conhecido como Parque Minhocão), pensando em novas alternativas urbanísticas.

Um de seus trabalhos mais conhecidos é O Jardim Suspenso da Babilônia, de 2010, no qual Morozini e amigos realizaram uma intervenção no elevado, desenhando flores com cal ao longo da via. As fotografias e um curta feitos do alto do 13º andar de seu apartamento repercutiram pelo mundo e ganharam prêmios.

A Galeria Pedra abre ao público nas quartas, sextas e sábados, das 18h às 22h. Já está confirmada também a exposição Rios de Asfalto, do artista visual André Pardini, que também assina curadoria e coordenação da galeria. Em ambas as mostras, as obras estarão à venda.

Vem se inspirar nas fotos:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.